EPAGRI/CIRAM
EPAGRI CIRAM
Outono
Início:20/03 Fim:21/06
outono2.png

Previsão Climática - 3 meses

PREVISÃO CLIMÁTICA TRIMESTRAL PARA SANTA CATARINA

Maio, Junho e Julho de 2018

Precipitação:

Em maio o padrão atmosférico, observado em abril, muda e a chuva volta a ocorrer com regularidade em SC, por vezes com acumulados significativos, deixando a média do mês próxima a acima da média histórica. No entanto, a partir de junho a previsão é diminuição de chuva novamente. Desta forma, o trimestre (maio, junho e julho) deve fechar com chuva próxima a abaixo da média climatológica.

Ressalta-se que eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, a Epagri/Ciram recomenda acompanhamento diáriodos boletins informações disponibilizados no site.

Climatologia (o que se espera para época do ano):      

No mês de maio, os valores esperados de chuva variam de 110 a 200 mm em média do Oeste ao Planalto e 70 a 130 mm nas demais regiões.  Nos meses de junho e julho, a média climatológica é de 110 a 170 mm no Oeste e Meio Oeste, e de 70 a 130 mm do Planalto ao Litoral, sendo o mês de julho menos chuvoso em relação a junho.

As chuvas são preferencialmente causadas pela influência de frentes frias, sistemas de baixa pressão e vórtices ciclônicos. Também é a época de atuação frequente dos ciclones extratropicais, próximos ao Litoral, que oferecem perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, que muitas vezes resultam em ressaca.

Temperatura:

Previsão de temperatura próxima a acima da média climatológica, no trimestre. No decorrer do mês de maio, as massas de ar frio devem chegar ao Sul do Brasil, provocando frio mais abrangente, por vezes com formação de geada ampla em Santa Catarina. Especialmente nos meses de junho e julho episódios de neve podem ocorrer, sobretudo no Planalto Sul.

São caraterísticas do outono/inverno: veranicos, períodos prolongados de temperatura mais elevada (acima de 25°C), especialmente no mês de maio; grande amplitude térmica diária (diferença de temperatura mínima e máxima) e nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade.

TemperaturadaSuperfíciedoMar(TSM):

No mês de março as águas continuaram frias no Pacífico equatorial, com valores de anomalia de TSM em torno de -0,5°C a -1,0°C (Figura 1), associada a La Niña fraca. No entanto, na atmosfera ocorreu uma diminuição significativa do vento nos baixos níveis (ventos Alísios), um dos fatores que indica o enfraquecimento do fenômeno. No período de 15 a 21/04 foram registrados valores de anomalia próximos de -2,0°C na região do El Ninho 1 + 2, próximo da costa do Peru (Figura 2), e valores próximos a normalidade ao longo do Pacífico equatorial. Os modelos numéricos de previsão indicam o enfraquecimento do fenômeno La Niña, evoluindo para neutralidade durante o próximo trimestre.

1111
Figura
1 - Anomalia da TSM nos oceanos Atlântico Pacifico,em Março de 2018.

222
Figura 2 - Anomalia da TSM noPacifico, nos dias 15 a 21 de abril de 2018.

Elaboração do boletim: Gilsânia Cruz (Meteorologista)
Previsão do Fórum Climático: EPAGRI/CIRAM, IFSC, ALERTABLU, NSC e RIC TV.